Na maior caverna submarina do mundo, pesquisadores descobrem restos humanos e traços de antigas civilizações

Na maior caverna submarina do mundo, pesquisadores descobrem restos humanos e traços de antigas civilizações

Cientistas completaram uma das mais detalhadas expedições para dentro do grande buraco azul de Belize. Vamos falar aqui um pouco sobre o que foi encontrado no gigante e misterioso buraco.

Próximo ao litoral de Belize, há um enorme buraco que se estende por mais de 120 metros. Ele é conhecido como o “Great Blue Hole” ou o “Enorme Buraco Azul” de Belize. Pequenos barcos e escunas cruzam incessantemente esse espaço dada a curiosidade e a dimensão que tem esse fenômeno natural ainda misterioso.

No final de 2018, uma equipe da Aquartica Submarines formada por oceanólogos e mergulhadores iniciaram uma descida rumo a base do buraco azul. A missão era criar um mapa em três dimensões do espaço em seu interior, mas, durante a expedição, eles se depararam com paisagens comuns e nem tão comuns do mundo dos oceanos.

Assim que a equipe começou a exploração, eles encontraram alguns personagens já esperados, como tubarões de bico-fino, tartarugas, corais gigantes, entre outros animais incríveis. Mas ao avançarem de nível, a 90 metros abaixo, começou a ficar cada vez mais difícil de ver vida por ali. Não à toa, começou-se a perceber níveis perigosos de sulfito hidrogênio tóxico se espalhavam por toda a extensão da área como se fosse um véu flutuante.

Uma das pesquisadoras e mergulhadoras da equipe, Erika Bergman, conta “Lá embaixo não tem oxigênio, não tem vida. E fora isso, pudemos encontrar conchas e mais conchas, e caranguejos ermitões que caíram no buraco e morreram sufocados, sério”, explicou.

Indo ainda mais longe, passando o enorme cemitério de conchas e indo realmente no rumo decidido da base do buraco, por volta de 120 metros para dentro, a equipe encontrou algo que eles realmente não esperavam, pequenas estalactites. A surpresa fez com que surgisse uma série de perguntas na cabeças dos cientistas, mas que, sobretudo, trouxeram pistas sobre o passado daquele gigantesco buraco.

Depois de alguns estudos, os cientistas chegaram à hipótese de que a caverna tenha se formado durante a última idade do Gelo, que terminou há cerca de 14 000 anos. Foi quando os níveis dos mares começaram a subir e a caverna afundou e colapsou, deixando para trás um Enorme Buraco Azul que conhecemos hoje. Os cientistas também acreditam que outros buracos submarinos, como o Dragon Hole no Sul do mar da China e o Dean’s Blue Hole nas Bahamas, também tenham se formado da mesma maneira.

Conforme os cientistas foram descendo rumo ao chão, eles encontraram mais uma pista do passado, um pequeno acúmulo de silte, isto é, pequenos fragmentos minerais menores que um grão de areia, em cima do cemitério de conchas. Segundo Bergman, outro pesquisador da equipe “o silte lá embaixo é uma ótima lembrança do todos os diferentes furacões e ciclos de chuva e de gelo que aconteceram, o que podemos cruzar com o colapso da civilização Maia, em que ocorreram enormes ciclos de tempestades seguidos de inúmeras secas”, comentou.

Como não poderia faltar, eles também encontraram no fundo do buraco, uma garrafa de dois litros de Coca-Cola e uma câmera GoPro com várias fotos de férias. Mas além disso, foram encontrados os restos mortais de duas das três pessoas que já se perderam por ali.

Segundo os mesmos cientistas e pesquisadores, o Buraco não é eterno, os fenômenos naturais estão empurrando areia e sedimentos para dentro dele, o que os leva a pensar que em algum tempo o buraco chegará ao mesmo nível do mar, mas até lá, ainda poderemos admirar a sua beleza e seus inúmeros mistérios.

Veja imagens do buraco azul de Belize no vídeo acima! 

(Fonte: G1) 

• Gouvea Aline
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações