Rita Cadillac diz que queria ser lembrada como chacrete, e não pelos seus filmes adultos
Rita Cadillac diz que queria ser lembrada como chacrete, e não pelos seus filmes adultos
Rita Cadillac diz que queria ser lembrada como chacrete, e não pelos seus filmes adultos
Leia mais

Rita Cadillac diz que queria ser lembrada como chacrete, e não pelos seus filmes adultos

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

A ex-dançarina do programa do Chacrinha desabafou e disse que preferiria ser lembrada como chacrete, e não por ter participado de filmes adultos.

Eterna chacrete?

A dançarina Rita de Cássia Coutinho, a famosa Rita Cadillac, começou sua carreira ao lado do apresentador Chacrinha. Ela atuou por 10 anos como dançarina do programa, e hoje, aos 64 anos, ela conta que queria ser lembrada dessa época, e não só pelos filmes adultos que protagonizou.

Rita Cadillac já se lançou de diversas maneiras na mídia desde o fim do programa do Chacrinha: já foi cantora, apresentadora, participou de muitos programas (dentre eles, duas vezes no reality show "A Fazenda", que está acontecendo no momento), entre outros. Com o lançamento do filme sobre a vida de Abelardo Barbosa (o Chacrinha), uma parte da vida de Rita Cadillac também será representada: a atriz Karen Junqueira encarnará Cadillac como a eterna dançarina do programa e braço direito do apresentador.

A entrevista

A revista "Quem" entrevistou Rita Cadillac para relembrar os anos em que trabalhou no programa. Uma das questões abordadas na entrevista foi a da realização do programa em plena ditadura militar que o Brasil estava inserido na época, e ela diz que era muito difícil. "Era terrível. Nós éramos examinadas antes de entrar no programa, e durante o programa a censora ficava lá parada, ouvindo o que ele dizia. E nós eramos vigiadas também, e eu tinha uma mania terrível: minha roupa sempre foi a menor, então quando a censora ia revistar a gente no camarim, eu puxava o maiô pra ele ficar parado cobrindo mais, mas no programa eu ia dançando e ficava pequeno de novo", desabafou a dançarina.

Rita também contou sobre a fama e como é ser a chacrete mais lembrada do programa: "O Chacrinha dava chance para todas, eu não tinha mais destaque que as outras. Acho que fiquei marcada pelo momento da Pantera, e porque eu fazia cara de “a gostosa aqui sou eu”, era uma personagem. E eu não saí da televisão. As outras viraram médicas, professoras, donas de casa, advogadas. Com algumas ainda mantenho contato", respondeu ela.

Outro assunto polêmico abordado na entrevista foi a época em que ela participou do reality "A Fazenda", e conta que foi uma fase bastante difícil: "Eu participei duas vezes de A Fazenda (risos). Na primeira vez, em 2013, eu via pela TV e pensava “é fácil”, mas quando você chega lá e tem que conviver com as pessoas, você fala “o que estou fazendo aqui?”. Eu vivia chorando, saí em depressão. Fiquei um mês, foi muito difícil, era um hospício. Daí, ano passado me convidaram (para A Fazenda: Nova Chance) e eu topei para ganhar um dinheirinho. Eu achava que em um mês eu sairia, e fiquei até o final. Foi melhor porque o povo era melhor, mas em alguns momentos eu tive vontade de mandar meia dúzia passear, mas se eu ficasse louca não seria eu."

Para finalizar, ela contou sobre o que pretende fazer daqui para frente. Segundo Cadillac, "Não sei, o que tem mais para fazer? Eu encaro o que aparece. É um desafio, e tudo faz parte. Eu deixo as coisas aparecerem porque pra mim nunca deu certo ficar sonhando. A vida me fez não esperar aquilo que eu quero, mas aproveitar o que está vindo. Se veio um limão, vamos lá! O que a vida vai me dando eu vou encarando."


En plus
Sem Internet
Verifique suas configurações