Um simples exame de sangue possibilitará detectar todos os tipos de câncer em poucos minutos

Um simples exame de sangue possibilitará detectar todos os tipos de câncer em poucos minutos

Cientistas desenvolveram um teste revolucionário: a partir de uma simples amostra de sangue, ele é capaz de detectar células cancerígenas em apenas 10 minutos. Eles, na verdade, conseguiram identificar um traço em comum em todos os cânceres: a atração do seu DNA por... ouro!

Pesquisadores do Instituto australiano para a bio-engenharia e as nanotecnologias (AIBN) acabam de descobrir uma assinatura comum a potencialmente todos os cânceres, que possibilitaria a sua identificação de forma inédita. Eles revelaram assim que, dada a sua estrutura molecular, o DNA das células cancerígenas se ligam irresistivelmente ao... ouro.

A busca por um aspecto em comum

"Sendo o câncer uma doença extremamente complicada e variada, foi difícil de encontrar um traço que seja comum ao conjunto de suas variantes, mas diferente de uma célula saudável", explica Abu Sina, pesquisador da AIBN. Para resolver as dificuldades, os pesquisadores se concentraram no que chamamos de DNA livre total: fragmentos de DNA degradados, liberados no plasma sanguíneo depois da morte das células cancerígenas originais.

Eles analisaram os motivos epigenéticos dos genomas das células cancerígenas e das células saudáveis; em outras palavras, eles examinaram as configurações das moléculas, chamadas de grupo metil, no DNA das células. Os metis tem um papel fundamental, pois eles possibilitam controlar quais genes estarão ativos ou inativos a todo momento. Foi ali que os pesquisadores encontraram uma diferença crucial entre as células saudáveis e as células cancerígenas.

Forte ligação com o ouro

Enquanto as primeiras apresentam metis nos conjunto do seu genoma, nas células cancerígenas, os metis ficam concentrados apenas em regiões bem precisas. Uma característica que foi notada em diferentes tipos de câncer. "Virtualmente, cada fragmento de DNA cancerígeno que nós analisamos apresenta essa motivação altamente previsível", comenta Matt Trau, co-autor do estudo publicado na Nature Communications.

Esses núcleos concentrados de metil podem levar fragmentos de DNA livre e circulante a adotarem uma nanoestrutura em 3D que se cola irresistivelmente ao ouro. Nessa base, os pesquisadores desenvolveram então nanopartículas de ouro capazes de mudar de cor em função da presença ou da ausência de metil característicos. Um teste rápido e eficaz cujos resultados são diretamente visíveis a olho nu. De acordo com pesquisadores, teria sido confirmada uma taxa de 90% de confiabilidade.

Leia também
Veja o que acontece quando uma mulher coloca uma câmera escondida no bumbum

"Nós não sabemos ainda se isso se trata do Graal em termos de diagnóstico do câncer", ressalta Trau, "mas é um marcador do câncer incrivelmente simples e universal. Que além do mais, essa tecnologia é muito acessível e barata, e não requer equipamentos de laboratório complicados."

O método ainda não está perfeito, mas sim apenas começando. Por enquanto, ela não possibilita determinar a gravidade do câncer nem de localizar a doença. No entanto, se os pesquisadores conseguirem melhorar a sua confiabilidade, ele poderá substituir muitos testes caros ou complicados no futuro.

• Marcos Silva
Leia mais