Centenas de animais morrem devido ao extremo calor na Austrália
Centenas de animais morrem devido ao extremo calor na Austrália
Leia mais

Centenas de animais morrem devido ao extremo calor na Austrália

Cenas chocantes de dezenas de cavalos e morcegos mortos devido à altíssima temperatura estão circulando na internet.

O calor extremo que assola a Austrália

Enquanto que na Europa as temperaturas chegam a baixíssimas temperaturas, frequentemente abaixo de zero e com a presença de neve, o Brasil está sofrendo com o calor intenso, assim como outros países do hemisfério Sul. Enquanto que em terras brasileiras reclamamos das altas temperaturas e, aproveitando o clima de férias e festas de final de ano para irmos à praia pegar um bronze e tomar banho de mar, há países que estão sofrendo na mesma proporção com o calor ou até mesmo mais. Este é o caso da Austrália por exemplo, cujos termômetros atingem facilmente a temperaturas maiores que 44 graus.

No último dia de 2018, o calor bateu recordes: devido a uma forte onda de calor, a temperatura chegou aos 40 graus, tornando esta a virada de ano mais quente da história. Desde então, o calor na Austrália ainda continuará por mais 3 meses batendo recordes e apresentando temperaturas de 10 a 14 graus superiores ao normal durante esse período. A meteorologista Sarah Fitton explicou que "A razão para o calor contínuo nessa época do ano é um anticiclone sobre o mar da Tasmânia, entre a Austrália e a Nova Zelândia". Até mesmo o grande torneio de tênis Austrália Open foi afetado: medidas de proteção serão tomadas, pois já foram registrados vários casos de atletas passando mal devido ao calor.

Os animais também sofrem (e muito)

Enquanto que os seres humanos ainda conseguem dar um jeito de amenizar um pouco os efeitos das altas temperaturas, como praias e ar-condicionados que prometem acabar com o calor intenso, os animais geralmente não têm muito o que fazer para suportar. A onda de calor extremo que varre a Austrália já fez centenas de vítimas no mundo animal. Em Alice Springs, porção norte do país, a guarda ambiental encontrou dezenas de cavalos já mortos ou agonizantes, tudo isso devido à desidratação e à fome. O poço da região nunca havia ficado seco na história, mas depois de 12 dias com as temperaturas acima dos 42 graus a água evaporou, e os cavalos que ali se hidratavam não aguentaram e morreram de sede. Quando a guarda ambiental chegou, 40 deles já havia morrido; o restante foi abatido pois estavam em uma situação irreparável e acabaram sendo sacrificados. As autoridades foram acionadas quando os moradores notaram a falta dos cavalos.

Outra espécie de animal que foi dizimada devido às temperaturas foram os morcegos-raposas. Um terço da população desses animais foi varrida do mapa australiano em apenas dois dias. O motivo é o mesmo dos cavalos: eles acabaram não resistindo às temperaturas superiores aos 42 graus. O caso aconteceu na região próxima à cidade de Cairns, quando os habitantes avistaram os morcegos literalmente caindo das árvores e acionaram as autoridades. Estima-se que 23 mil morcegos-raposas foram abatidos, mas alguns acreditam que esse número pode ser ainda maior, chegando aos 30 mil. Um número gigantesco quando consideramos a população total dessa espécie de morcego que habita toda a Austrália - eram 75 mil animais antes da onda de extremo calor.

(Fonte: Galileu)

Escrito por De Freitas Agostinho

Sem Internet
Verifique suas configurações