Famosa mundialmente, marca de cachaça nacional vende 374 mil doses por hora só no Brasil
Famosa mundialmente, marca de cachaça nacional vende 374 mil doses por hora só no Brasil
Leia mais

Famosa mundialmente, marca de cachaça nacional vende 374 mil doses por hora só no Brasil

Líder de vendas no Brasil e no mundo, cachaça 51 é uma das mais vendidas a nível mundial.

A "marvada" da pinga   

A cachaça possui vários nomes e apelidos nas diferentes regiões do Brasil: pinga, caninha, marvada, água que passarinho não bebe, são apenas alguns exemplos de apelidos que a bebida recebeu durante sua história. Considerada a bebida mais tradicional do Brasil, a aguardente é servida em sua maioria simplesmente pura, em formato de doses; porém, foi a caipirinha que deixou a cachaça conhecida mundialmente. Há também aguardentes menos conhecidas mas que começam a ganhar cada vez mais espaço nas prateleiras e no exterior, como a Tiquira. Porém a cachaça tradicional ainda reina absoluta! Hoje já é possível ir em qualquer restaurante do mundo que muitos já incluíram a iguaria no cardápio, ou pelo menos a conhecem de nome.

São produzidas por ano estonteantes 800 milhões de litros de cachaça por ano no Brasil, divididos entre os mais de 12 mil produtores; dentre estes, são registrados apenas 2000 estabelecimentos que produzem a bebida e um total de 4000 marcas licenciadas. O resto são pequenas produções locais.

O rótulo mais famoso do mundo

Das marcas licenciadas e regularizadas do Brasil, a mais bem sucedida é sem dúvidas a famosa 51, produzida pela Companhia Muller. A produtora fica localizada na região da cidade de Pirassununga, interior do estado de São Paulo, e é a maior produtora nacional de cachaça. Além de liderar as vendas aqui no Brasil, a marca também é sucesso de vendas em vários países como Itália, Espanha, Portugal, entre outros, devido ao sucesso que a caipirinha faz a nível mundial. Pesquisas apontam que 40% da cachaça consumida na Espanha pertence ao rótulo 51, e em Portugal esse número pula para os 50%, ou seja, metade da pinga consumida lá é da marca. Além destes já citados, ela é também exportada para mais de 50 países e os produtores não pretendem parar por aí.

O país que mais consome a famosa 51, claro, é o Brasil. Estima-se que são "viradas" mais de 374 mil doses da pinga somente em terras brasileiras, divididas em pontos de venda como bares, padarias e restaurantes.

Origem do sucesso e do nome

O fundador do rótulo foi Guilherme Muller Filho, brasileiro com descendência alemã, no ano de 1959. O sucesso da marca se deu pelo apreço com que o produtor cuidava dos negócios: enquanto deixava seu sócio cuidando da parte financeira, o próprio Guilherme transportava a bebida produzida em seu caminhão, utilizando tanques e barris de madeira. Com a alta qualidade, a marca foi ganhando cada vez mais espaço nas prateleiras. Mas afinal, por que o nome 51? existem várias teorias a respeito da escolha do nome; uma diz que este era o número do tonel que continha a melhor safra da bebida.

Uma outra história é a de que um mendigo da região de produção conseguiu a proeza de virar 51 doses da pinga em apenas um único dia. Apesar das diversas teorias a respeito do nome, a verdade acabou se perdendo com o tempo e nem mesmo a própria empresa sabe o porquê do nome. De qualquer forma, a cachaça ainda é grandemente consumida e é sucesso nos bares Brasil afora, prova que nem a crise faz o brasileiro parar de beber pinga. Beba com moderação!

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações