China: primeiros brotos da história plantados na Lua começam a germinar

China: primeiros brotos da história plantados na Lua começam a germinar

A China levou sementes variadas para crescerem no satélite; é a primeira vez na história que material biológico cresce na Lua.

A busca pela vida fora da Terra

Desde os primórdios da humanidade, uma pergunta que sempre pairou na mente dos seres humanos de todas as regiões do mundo é: estamos sozinhos no universo? Existe vida fora da Terra? Enquanto que muitos acreditam que realmente estamos sozinhos, outros creem que seres extraterrestres existem e que até mesmo podem estar entre nós neste exato momento. Enquanto a pergunta não é oficialmente respondida, o ser humano continua suas buscas pelo espaço.

Outra busca além da vida fora da Terra, é a busca por recursos naturais. Visto que muitos recursos naturais que dispomos hoje não são renováveis, ou seja, que um dia vão acabar, a busca por eles também se tornou vital para a continuidade da vida em nosso planeta por mais alguns milhares de anos.

Os brotos que crescem na Lua

Recentemente, a China anunciou que realizaria uma missão espacial com o objetivo de explorar o "lado oculto da Lua". Já que o movimento de rotação da Lua coincide com o movimento de translação da Terra, uma face da Lua nunca nos foi revelada a olho nu, ou seja, quando olhamos para a Lua a noite vemos sempre a mesma face. Denominada de Chang'e 4, a missão consistia em levar uma sonda não-tripulada munida de equipamentos de pesquisa geológicos para estudar o lado oculto da Lua. Ela também carregava sementes de algumas plantas, como algodão e batata, e também leveduras e ovos de mosca-das-frutas. Lacradas em um recipiente no interior da sonda, os primeiros brotos começaram a germinar e marcam um fenômeno histórico nunca atingido antes: é a primeira vez que qualquer material biológico é cultivado na Lua.

Mas por que isso é tão importante? A possibilidade e capacidade de plantar material biológico fora da Terra é fundamental para viagens de longuíssima duração, já que dessa forma, os astronautas podem colher o próprio alimento que consumirem no espaço, sem a necessidade de retornar à Terra para reabastecer grande parte de seus mantimentos. Uma missão a Marte, por exemplo, duraria hoje dois anos e meio e uma plantação na Lua seria crucial para ser bem-sucedida.

Segundo o site de notícias da BBC, além da pequena plantação, o objetivo é formar uma "minibiosfera", composta por um ambiente autossustentável artificial.

Cientistas do mundo inteiro comentam o fenômeno

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

O jornal "Diário do Povo", oficial da China, postou em seu perfil no Twitter fotos da semente recém-germinada, afirmando na legenda que isso marca "a conclusão do primeiro experimento biológico da humanidade na Lua". Outros cientistas também comentaram sobre o feito histórico; Fred Watson, da Austrália recebeu a notícia com entusiasmo: "Isso sugere que pode não haver problemas intransponíveis para os astronautas no futuro ao tentar cultivar suas próprias plantações na Lua em um ambiente controlado", contou ele para o site. "Eu acho que certamente há um grande interesse em usar a Lua como plataforma, principalmente para voos para Marte, porque é relativamente perto da Terra", continou o pesquisador sobre as missões para Marte. O próximo passo, segundo os chineses, é criar bases para uma futura base espacial situada na Lua. 

Fonte: BBC 

Imagem: BBC 

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações