Black Fraude: 5 dicas para não cair nas armadilhas do comércio
Black Fraude: 5 dicas para não cair nas armadilhas do comércio
Leia mais

Black Fraude: 5 dicas para não cair nas armadilhas do comércio

A data criada pelos americanos ganhou o mundo e se tornou um dos períodos de compra mais importantes do ano. Mas, nem tudo são flores!

Quem não gosta de um bom desconto? As promoções levam muitas pessoas à loucura e também a comprarem coisas de que não precisam. Há épocas já muito tradicionais em todo o mundo, como o Natal, o Dia das Mães ou o Dia das Crianças. Mas, nas últimas décadas, há uma expressão em inglês que vem ganhando força quando o assunto é comprar: Black Friday

Com origem na capital mundial do capitalismo, os Estados Unidos, este “dia das compras” já faz parte do calendário comercial de diversos países. Marcado para a próxima sexta-feira, dia 23 de novembro, a Black Friday deste ano já é muito aguardada por marcas e consumidores – é comum que as empresas comecem a divulgar os seus descontos com antecedência e também adiantem o início das promoções para levar vantagem sobre a concorrência. 

Mas, nem tudo são flores! É importante o consumidor ficar atento para não ser enganado por uma das diversas estratégias de marketing utilizadas pelas empresas para impulsionar as vendas em datas como esta. Não é difícil encontrar quem já tenha sido prejudicado por uma fraude ou ludibriado por um desconto milagroso. No Brasil, a data já foi apelidada de Black Fraude

O Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC) estará vigilante durante este período para combater práticas que possam induzir os consumidores ao erro. E para evitar transtornos e arrependimentos, nós listamos cinco dicas para você não cair nas armadilhas do comércio durante a Black Friday. Confira:

1 – Faça buscas sobre a reputação da loja antes de comprar

Pesquise o histórico da marca na internet e converse com amigos ou familiares para conhecer a experiência de compra de outros consumidores. Alguns órgãos regulatórios, como o Procon, disponibilizam uma lista com lojas que devem ser evitados. 

No caso de compras online, verifique se o site da empresa possui conexões seguras: ao acessar a página principal, veja se o endereço eletrônico começa com “https” e se há um cadeado ativado na extremidade esquerda da barra de endereços do navegador. Ao clicar nesse cadeado, a informação ali presente deve ser a mesma do site acessado. 

2 – Evite clicar em links promocionais

E-mails e mensagens não solicitados podem conter vírus ou te levar para um site fraudulento – que, em geral, é muito parecido com o site original da marca e pode confundir até os mais experientes compradores online. 

O mais seguro é acessar o site oficial da loja diretamente e não por meio de links. 

3 – Guarde os registros das suas compras

Tire um print ou uma foto do seu comprovante de compra. Guarde e-mails de confirmação, códigos de localização e dados dos protocolos de atendimento. Estes documentos são fundamentais caso precise fazer uma reclamação no futuro. 

4 – Compare preços

Use sites e outras ferramentas online para comparar os preços e pesquise alguns dias antes da Black Friday para ter certeza de que não está comprando algo “pela metade do dobro”, já que é uma prática comum subir os preços um pouco antes da data para dar a sensação do desconto ser maior. 

Também devem ser analisadas questões como as condições de parcelamento e juros ou política de troca. 

5 – Seja racional

O consumidor deve aproveitar as promoções para adquirir produtos que realmente sejam necessários, sem se deixar levar pelas tentações consumistas. Avaliar com coerência é fundamental para não se arrepender ou acumular dívidas. Controle a empolgação!

Fora dos Estados Unidos, as promoções do início do ano, depois do Natal, costumam ter preços melhores para o consumidor do que a Black Friday.  

Escrito por De Freitas Agostinho
Última modificação

Sem Internet
Verifique suas configurações