Nova tecnologia carrega smartphones utilizando sinal de wi-fi

Nova tecnologia carrega smartphones utilizando sinal de wi-fi

As baterias estão com os dias contados: nova tecnologia usa antena wi-fi para carregar aparelhos celulares.

Seria este o fim das baterias comuns?

Já imaginou você não precisar mais carregar seu celular na bateria? Esse futuro pode estar mais próximo do que você imagina. Cientistas do MIT, sigla em inglês do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, criaram com sucesso um protótipo de uma antena wi-fi que carrega o celular sem precisar das já ultrapassadas baterias. O pesquisador Tomás Palácios, um dos líderes da pesquisa, veio a público para explicar melhor como a tecnologia está sendo desenvolvida: "Apresentamos uma nova maneira de dar energia a sistemas eletrônicos no futuro - simplesmente captando energia wi-fi de uma maneira que pode ser facilmente integrada a áreas abrangentes", afirmou ele na apresentação do artigo que foi publicado pela revista científica Nature.

Funcionamento

Mas como tudo isso foi possível? Segundo os pesquisadores, eles utilizaram a mesma ideia dos transformadores que que convertem ondas eletromagnéticas de corrente alternada para corrente contínua que, no caso, seria uma antena de radiofrequência que capta esse tipo de onda. Depois, essa antena foi conectada a um semicondutor finíssimo, de 3 átomos de espessura. Ele então converte esses sinais em tensão elétrica, pronta para recarregar seu aparelho sem utilizar nenhum tipo de bateria, mas sim através do sinal wi-fi captados no ambiente, tudo isso de forma passiva. Ou seja, seu smartphone estaria carregando e você nem estaria percebendo.

A pesquisa abriu margem para que novas idéias surgissem: "E se pudéssemos desenvolver sistemas eletrônicos e envolver uma ponte ou uma rodovia inteira? Ou as paredes de nosso escritório? Traríamos inteligência eletrônica a tudo ao nosso redor", indagou Tomás. Seria realmente um avanço não só na recarga de bateria mas também o da internet como um todo.

Usos na medicina

Leia também
Ele fura uma bateria de celular com uma faca, o que resulta em algo surpreendente

Além do conforto para recarregar aparelhos smartphone, outro uso que anima os cientistas que criaram a nova tecnologia é na área hospitalar. Essa área seria amplamente beneficiada, não apenas para manter os equipamentos médicos ligados 24h mas também para a criação de novos apetrechos, principalmente os extremamente finos. Como o principal componente tem apenas 3 átomos de espessura, ele seria ideal para transmitir informações de dentro do corpo humano. Hoje em dia, por exemplo, já existem pílulas que são engolidas para transmitir informações sobre a saúde dos pacientes, mas que esse método não é ideal pois podem conter toxinas. Segundos os pesquisadores, as baterias possuem lítio que, caso vazem, podem matar os seres humanos; assim, a nova tecnologia seria muito mais confiável e segura para a obtenção de dados, já que não precisaria de bateria para funcionar.

Previsão de lançamento

Em entrevista ao canal de notícias da BBC Brasil, o cientista Xu Zhang, o líder da pesquisa disse que a tecnologia ainda está sendo testada e que ainda precisa passar por uma demorada avaliação em testes para chegar ao mercado comercial. "Precisamos desenvolver um único dispositivo para uma série de conversões e otimizar o processo tanto do projeto quanto da fabricação de circuitos. Só então será viável usar algo assim para os eletrônicos do dia a dia", contou ele para o site.

 

Fonte: BBC

Imagem: Getty 

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações