Uma baleia jubarte bebê filmada 20 minutos depois de nascer

Uma baleia jubarte bebê filmada 20 minutos depois de nascer

No litoral do Havaí, um cientista pôde capturar imagens excepcionais de um filhote de baleia que acabava de sair da barriga de sua mãe. Um vídeo fora do comum, nunca visto pelo especialista em cerca de 25 anos de observações.

Com alguns minutos de antecedência, o parto poderia ter sido acompanhado ao vivo. No entanto, foi pouco mais de vinte minutos apenas após o seu nascimento que a baleia jubarte bebê pode ser observada no litoral do Havaí. Um encontro fora do comum capturado pelas lentes de Lars Bejder, diretor do Marine Mammal Research Program da Universidade do Havaí.

Voltado ao exercício da observação, o especialista escrutava - como ele faz a mais de vinte anos - a superfície do Pacífico na busca por baleias. Foi então que ele foi avisado pela equipe de um barco de turismo que estranhas agitações com sangue estavam acontecendo nas praias de Maui, a segunda maior da ilha do arquipélago do Havaí.

Drone enviado ao local

Sem demora, Lars Bejder enviou um drone em direção às praias da ilha. Uma trajeto de alguns minutos, que no final, o aparelho pode capturar uma sequência excepcional.

"É algo realmente extraordinário. [Nós chegamos até uma baleia jubarte] em menos de vinte minutos, eu diria logo após ter parido sua cria", comenta o pesquisador em um comunicado. "Ainda tinha sangue na água e a cria [ainda estava] muito inábil, mas [nós ficamos] o mais próximo que pudemos de um nascimento", lembra Lars Bejder.

Apesar dos poucos minutos que o separaram da saída do ventre de sua mãe, o filhote de nadadeiras ainda frágeis conseguia se manter mais ou menos flutuando. Proeza que, na mesma ocasião, possibilitou que mantivesse um segredo: o do seu sexo.

Espetáculo prodigioso

Leia também
Imagens de um enorme tubarão-tigre capturado na Austrália comovem a internet

Trazido assim à vida aos olhos atentos dos cientistas, o filhote pode em seguida ser amamentado por 5 a 7 meses desde então. Depois de passar 11 meses no ventre materno, o pequeno filhote iniciou assim uma vida que deve se prolongar por cinquenta anos. Meio século ao longo do qual o filhote poderá também, porque não, parir o seu. O suficiente para encher o olhos do mundo com outras incríveis imagens.

"Acho que cada um pode ser sensibilizado com esse tipo de sequência; isso nos aproxima desses animais e nos dá uma majestosa amostra desses criaturas", comenta Lars Bejder. "Acho que é realmente espetacular", conclui o cientista. Um espetáculo majestoso... quase um nascimento acompanhado ao vivo!

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações