Asma: sintomas, tratamentos, definição, causas

Asma: sintomas, tratamentos, definição, causas

A asma é uma das doenças crônicas mais comuns no mundo. Se muitas vezes ela é silenciosa, é importante detectá-la o mais rápido possível para evitar complicações. Mas quais são os sintomas e como tratá-los? Explicações.

Definição: A asma, o que é?

A asma é uma inflamação crônica das vias respiratórias, nos brônquios e bronquíolos. Trata-se de uma doença que aparece em crises ocasionais alternadas com períodos de respiração normais. Durante uma crise, os brônquios inflam, os músculos que os cercam contraem-se e impedem o ar de circular até os pulmões. A crise de asma causa dificuldades para respirar, falta de ar súbita, respiração rápida e uma sensação de pressão no peito. 

Causas: por que acontece a asma?

As causas da asma ainda são indefinidas mas as pesquisas recentes permitiram identificar fatores genéticos e ambientais que podem ter um papel importante. O tabagismo, por exemplo, é um fator de risco. Uma crise de asma é caracterizada pela produção de muco que se acumula no brônquios e dificulta a respiração. Ao mesmo tempo, os músculos ao redor se contraem e pressionam o entorno ( broncoespasmos), piorando a capacidade respiratória. Associamos a asma à alergias respiratórias mas não é sempre que ela tem origem alérgica.

Os asmáticos apresentam uma sensibilidade elevadas nos brônquios a uma ou muitas substâncias.  Elas podem desencadear uma crise de asma ou agravá-la, mas não são a causa. Elas podem ser:

- alergias ( pó, pelos, pólen, ácaros)

- cigarro- poluentes ( fumaça, poluição)

- alimentos que podem causar alergias alimentares ou alguns aditivos alimentares

- certos medicamentos

- infecções das vias respiratórias que podem causar uma inflamação (gripe, sinusite, bronquite, etc)

- exercícios físicos, principalmente no inverno

- fortes emoções, principalmente nas crianças

 

Sintomas: como reconhecer a asma?

De maneira geral, os sintomas da asma podem ser persistentes ou intermitentes. São mais fortes à noite e pela manhã. Incluem dificuldade de respirar, respiração ruidosa característica, sensação de opressão torácica e tosse seca. Em algumas pessoas, a asma manifesta-se apenas na forma de uma respiração curta que vai agravando-se com o tempo. Essas pessoas demoram a perceber que são asmáticos. A partir dos 50 ou 60 anos os sintomas agravam-se brutalmente, às vezes de forma trágica. Uma vez que a crise se agravem, os sintomas precedentes podem intensificar-se e mais allguns podem aparecer:

- suores

- aumento no ritmo cardíaco

- dificuldades de falar ou tossir

- ansiedade, confusão e agitação, principalmente nas crianças

- coloração azulada dos dedos e lábios

- confusão mental

Caso esses sintomas apareçam, é importante acionar o serviço de emergência ou encaminhar o paciente a um hospital para controlar a crise o mais rápido possível. 

Tratamentos: como curar a asma?

Não existe um tratamento capaz de curar a asma definitivamente. Como trata-se de uma doença crônica, é necessário um tratamento regular, mesmo entre as crises. Os medicamentos são administrados  pelas vias respiratórias com inaladores, permitindo uma ação rápida e evitando efeitos colaterais. Entre os medicamentos, há duas categorias, os tratamentos de controle, ou de fundo, e os medicamentos de crise ou de segurança. É importante diferenciá-los para respeitar a posologia prescrita pelo médico. 

- O tratamento de fundo deve ser feito todos os dias, mesmo que o paciente não sinta dificuldades respiratórias, no caso de asma moderada ou persistente. Estes medicamentos ( os corticóides) permitem diminuir a inflamação dos brônquios e a frequência das crises. Se a posologia não for respeitada, a frequência e gravidade das crises aumentam e pode ser necessário recorrer ao tratamento de crise. 

- O tratamento de crise, ou de segurança, deve ser começado quando os sintomas aparecem. São conhecidos como broncodilatadores de ação rápida. Eles possuem uma ação imediata que dilata os brônquios e facilita a respiração, mas não acalmam a inflamação. No caso de asma leve ou intermitente, o tratamento de crise pode ser o único necessário. De maneira geral, todas as pessoas asmáticas devem carregar sempre um inalador. Para prevenir as crises, é também aconselhável limitar a exposição aos fatores que podem desencadeá-las como a presença de mofo, animais, etc.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

- O tratamento de crise, ou de segurança, deve ser começado quando os sintomas aparecem. São conhecidos como broncodilatadores de ação rápida. Eles possuem uma ação imediata que dilata os brônquios e facilita a respiração, mas não acalmama a inflamação. No caso de asma leve ou intermitente, o tratamento de crise pode ser o único necessário.

De maneira geral, todas as pessoas asmáticas devem carregar sempre um inalador. Para prevenir as crises, é também aconselhável limitar a exposiçào aos fatores que podem desencadeá-las como a presença de mofo, animais, etc.

Raposo Gabriela
Sem Internet
Verifique suas configurações