Arqueólogos descobrem elixir da imortalidade em uma tumba chinesa de 2000 anos

Arqueólogos descobrem elixir da imortalidade em uma tumba chinesa de 2000 anos

Equipe de pesquisadores descobriram um misterioso líquido em uma tumba na China. trata-se de uma famosa poção da imortalidade, que foi objeto de estudo de escritos e lendas no passado.

No ano passado, arqueólogos fizeram uma impressionante descoberta durante escavações na província do Henan, na China. Eles descobriram um misterioso elixir em uma urna de bronze de milhares de anos. O líquido teria sido feito para ser um elixir da imortalidade pelas gerações passadas.

Remédio lendário

A urna de bronze na qual o elixir foi encontrado foi extraída de uma imensa tumba de 210 metros quadrados, datando da dinastia dos Han ocidentais (de 202 a. C. até o ano 8), na cidade de Luoyang. Ela figura em meio a uma impressionante coleção de objetos, entre muitas louças pintadas e restos mortais daquele que ocupava a tumba. Mas o mais interessante para os pesquisadores foi o conteúdo da urna.

"É a primeira vez que um 'remédio da imortalidade' místico é encontrado na China", conta entusiasmado Shi Jiazhen, afrente do instituto de relíquias culturais e de arqueologia. "O líquido é de grande valor para o estudo da forma como os antigos chineses esperavam atingir a imortalidade, a evolução da civilização chinesa."

Elixir ou veneno?

No total, os arqueólogos descobriram nada menos que três litros e meio do líquido amarelo claro, que exala um aroma de vinho. Estudando a sua composição, eles tiveram a surpresa de descobrir que não se tratava de álcool de arroz como eles tinham presumido, mas sim de uma mistura de nitrato de potássio e alunita; uma combinação descrita nos antigos textos taoistas como sendo a receita para criar um elixir da imortalidade.

Leia também
Descubra o efeito surpreendente do leite com Coca-Cola

Essa receita não é a única que aparece nos antigos textos, e a lista de ingredientes podia contar com compostos pouco recomendados para a saúde: ouro, jade, mercúrio e até arsênico. Todo um lado da pesquisa se dedica ao envenenamento ligado aos elixires alquímicos chineses, revelando que eles tinham mais sucesso tirando a vida que a prolongando.

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações