Sozinho e sem assistência, um americano atravessa a Antártida e marca a História

Sozinho e sem assistência, um americano atravessa a Antártida e marca a História

Um americano se tornou a primeira pessoa a atravessar a Antártida sozinho, sem qualquer ajuda externa.

Colin O'Brady, 33 anos, demorou 54 dias para completar a travessia da Antártida. Ao todo, são nada menos que 1.600 km de continente congelado que o aventureiro percorreu sozinho, sem ajuda externa. O americano entra na História, enquanto a Antártida agora está em um ponto de virada crucial na sua própria vida.

Um feito físico

Depois de um mês e meio de viagem, O'Brady finalmente cruzou a borda da plataforma de gelo de Ross - o ponto onde a massa terrestre antártica termina - marcando o fim de sua jornada. "Consegui meu objetivo: ser a primeira pessoa na história a viajar pelo continente antártico de forma independente, sem apoio ou ajuda", escreveu O'Brady em sua conta no Instagram. Mais um recorde: ele viajou os últimos 124 quilômetros em 32 horas, sem dormir. Uma "ultramaratona", como ele chama.

"Embora as últimas 32 horas tenham sido algumas das horas mais difíceis da minha vida, elas foram um dos melhores momentos que eu já vivi. [...] Eu fiquei em um estado de concentração profunda o tempo todo, concentrando-me no objetivo final, permitindo que minha mente conte as lições mais profundas sobre essa jornada. Eu estou escrevendo em um estado próximo ao delírio, sem ter dormido ainda ".

Leia também
Coral de alta capacidade de regeneração invade o Brasil

Nas fronteiras do mundo

Sua jornada foi acompanhada por GPS e atualizações foram transmitidas ao vivo diariamente em seu site. O'Brady e outro trekker, Louis Rudd, de 49 anos, deixaram o Union Glacier em 3 de novembro para serem os primeiros a atravessar a Antártida sozinhos e sem assistência. Rudd chegou dois dias depois O'Brady.

A primeira travessia data de 1997 e foi conduzida pelo norueguês Borge Ousland. O New York Times chamou o esforço de O'Brady de "um dos mais notáveis feitos da história polar", ao lado da "Corrida ao Pólo Sul", que, em 1911, opôs o famoso Roald Amundsen e Robert Falcon Scott.

• Marcos Silva
Leia mais