Como é fabricada a batata frita da mais famosa rede de fast-food?

Como é fabricada a batata frita da mais famosa rede de fast-food?

Dificilmente alguém escapou de prova-la. Mas muito mistério sempre existiu por trás da produção dos alimentos vindos de redes de fast food. Descubra agora alguns deles.

Um jornalista norte-americano conseguiu entrar dentro de um fabricante de batata frita da empresa estadunidense de fast-food McDonald’s e revelou a lista dos 18 aditivos utilizados além do ingrediente de base que é a batata.

A primeira pergunta que se coloca é a seguinte: as batatas do McDonald’s são feitas mesmo de batata? E só de batata? O jornalista norte-americano Grant Imahara conseguiu entrar dentro das usinas produtoras da grande rede de fast-food multinacional e descobriu, com seus próprios olhos, os segredos da fabricação das batatas fritas. A verdade pode ser até chocante: 19 ingredientes são utilizados do começo ao fim, entre os quais a batata. Mas e os outros 18? Os outros 18 são aditivos.

Esses 18 aditivos encontrados na receita não são perigosos ou fazem mal à saúde? Bom, de início é preciso especificar que aditivos são esses, aromas de carne e de leite, de óleo de soja hidrogenado com sal, e também dextrose, um açúcar natural que dá o aspecto brilhante e fresco para as batatas fritas. Vai também em meio à dezena de componentes pirofosfato de sódio que as impede de ficarem murchas. Mas também vai muitos antioxidantes para evitar que todos esses óleos e aditivos se mantenham em suas condições. No final, se a lista de aditivos parece longa para resultar em pequenas batatas fritas de forma a poder até incomodar, o jornalista confirma que nenhum deles é proibido, muito embora a “fórmula” seja reconhecida pelas autoridades sanitárias mundo a fora como prejudicial à saúde.

Leia também
Ele parou de consumir açúcar e álcool por um mês, esse foi o resultado

Contudo, a empresa não consegue manter a mesma receita em todos os países onde comercializa seus produtos, isto é, as batatas fritas vendidas no Brasil são diferentes das “originais” vendidas na América do Norte, por exemplo. De acordo com informações dadas pela própria rede de restaurantes, as batatas comercializadas no Brasil contêm basicamente apenas quatro ingredientes, em ordem de quantidade: batata, óleo vegetal, estabilizante e dextrose; este último é aquele responsável por manter a cor radiante da batata, digna de propaganda de televisão. Segundo eles ainda, as batatas vendidas por aqui são produzidas na Argentina, “por questão climática, de solo e altitude favoráveis para a produção do alimento”.

A produção em si é mais simples do que a fórmula, as batatas são plantadas e colhidas em período de safra, estocadas, selecionadas, lavadas e higienizadas mecanicamente. Então, depois desse processo inicial, elas são cortadas em palitos, passam por um processo de branqueamento e de texturização para que elas fiquem na consistência desejada, “crocante por fora e macia por dentro”. Depois disso, elas são congeladas ainda na fábrica. Quando elas chegam nos restaurantes, são ou armazenadas e na hora do consumo, são imersas em óleo vegetal fervendo a 168ºC por exatos três minutos e dez segundos, e da fritadeira vão diretamente para a embalagem que será servida ao cliente.

Apenas nos restaurantes brasileiros, é vendida uma quantidade aproximada de 3 mil toneladas de batata frita. A rede mencionada de fast-food divulgou ela mesma um vídeo em sua página do Facebook sobre o processo de fabricação da McFrita. 

De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações