Por que misturar diferentes tipos de bebidas não é uma boa ideia?

Por que misturar diferentes tipos de bebidas não é uma boa ideia?

Há uma série de fatores que influenciam, mas um dos mais importantes é o mesmo motivo por que algumas pessoas sofrem mais com a ressaca do que outras: a química das bebidas.

Sorte de uns, azar de outros

Final de ano, época boa para comemorar com os amigos e família - férias, a farra tem início no Natal e vai até o Ano Novo; acompanhado de tudo isso, claro, estão as bebidas alcoólicas. É bem comum encontrarmos pessoas que passam da conta durante o período de festas (ou até mesmo fora dele). O problema é o dia seguinte: a famosa ressacae não são poucas as receitas contra ela ao redor do mundo.

Muitos não conseguem levantar da cama no dia seguinte devido a fortes dores de cabeças e enjoos, enquanto outros parecem nem terem bebido na noite anterior; existem também aqueles que a ressaca dura por pouco tempo. Mas por que isso acontece?

Estima-se que 25% da população mundial não sofre muito com os efeitos do exagero etílico, e seacreditava que a causa da ressaca seria a desidratação intensa pós bebedeira, mas estudos recentes apontam que não é exatamente assim.

Explicação química

Ao contrário da desidratação, a explicação pode estar na química das bebidas, e esse é também o motivo de não ser uma boa ideia misturar os tipos de drinques.

Durante a fermentação do álcool, alguns resíduos tóxicos são formados, chamados de congêneres. Estes resíduos são os responsáveis por darem uma cor mais escura às bebidas, o que explica por que uma ressaca de uísque é bem pior do que a de vodka, por exemplo. Quanto mais congêneres forem ingeridos, pior será a ressaca. Por isso que misturar bebidas não é uma boa ideia: quanto mais tipos de bebidas, maiores as concentrações de congêneres nos drinques.

Após algumas horas da ingestão do álcool, ele se transforma nos compostos acetaldeídos e, em seguida, em acetato; são eles os responsáveis por causarem os sintomas da ressaca: náusea, suores e dores de cabeça. O cansaço e a glicose baixa baixa contribuem para que a pessoa fique mal humorada durante a recuperação. Pelo menos, é isso o que acontece com a maioria da população e ainda existe um mistério sobre pessoas que sofrem menos com a ressaca.

Explicação psicológica

Apesar da química, a ressaca pode ser pior dependendo de sua personalidade.

Além disso, um estudo afirma que pessoas que estão mais angustiadas ou mais estressadas tendem a sofrer mais com a ressaca do que as pessoas mais contentes. Lembra daquela história de "vou beber para esquecer os problemas"? Pois é, isso pode não ser nada legal no dia seguinte.

Uma outra explicação para esse fato aponta que pessoas mais descontentes e entristecidas tendem a beber bem mais justamente para "esquecer".

Prevenção

Leia também
Conheça os 20 países que consomem mais álcool no mundo

Para prevenir, não tem jeito mesmo: a melhor maneira para não sofrer com uma forte ressaca no dia seguinte é a moderação. Até mesmo beber muita água não resolve completamente, já que a desidratação tem um papel secundário na ressaca.

Para restaurar os níveis de glicose no sangue, é recomendado também comer comidas gordurosas e também ovos - não é por acaso que as pessoas têm vontade de comer fast food quando estão bêbadas. Hoje em dia, já existem remédios que amenizam os efeitos da ressaca e estão sendo desenvolvidos outros mais eficazes. Mas por enquanto, o melhor a se fazer realmente ainda é moderar na bebida!

• De Freitas Agostinho
Leia mais
Sem Internet
Verifique suas configurações