Síndrome de Lyell: definição, sintomas e tratamento. O que causa?

Síndrome de Lyell: definição, sintomas e tratamento. O que causa?

A síndrome de Lyell é uma reação grave da pele causada por uma alergia a medicamentos, cararacterizada por uma destruição brutal da parte superficial da pele e um desprendimento da epiderme.

Definição da síndrome de Lyell

A síndrome de Lyell é uma doença dermatológica aguda e grave que causa a destruição da epiderme como se a pele tivesse uma queimadura de segundo grau.

Essa alergia a medicamentos, grave e dolorosa, também atinge as mucosas da boca, olhos e órgãos genitais. A síndrome de Lyell é muito rara e afeta apenas 2 a cada 1 milhão de pessoas por ano. Tanto crianças quanto adultos podem ser afetados.

Sintomas da síndrome de Lyell

O início da síndrome de Lyell é repentino e imprevisível. Muitas vezes, ela começa com um estado de gripe, antes que bolhas apareçam na pele e nas mucosas. As lesões se estendem por cerca de cinco dias e, ao menor atrito, a epiderme se separa e cede lugar a uma derme vermelha que se desprende.

Os primeiros sintomas da síndrome de Lyell podem sugerir uma erupção cutânea viral, como a varíola, mas a aparição rápida de novos sintomas deve servir como alerta. Esses sintomas são:

- Aparência de vermelhidão no rosto e no corpo (a erupção geralmente começa no rosto e na parte superior do tronco e espalha-se rapidamente para corpo);

- Erosões nas mucosas (boca, olhos, ânus, órgãos genitais);

- Aparição de vesículas e bolhas cheias de líquido;

- Explosão de bolhas e desprendimento da epiderme, revelando uma pele vermelha brilhante com a aparência de queimadura de segundo grau;

- Febre alta;

- Fadiga intensa;

- Desidratação.

Causas da síndrome de Lyell

A causa mais comum da síndrome de Lyell é uma alergia a medicamentos. Medicamentos como certos anti-inflamatórios (ibuprofeno por exemplo), aspirina, certos antibióticos ou antiepilépticos podem provocar a aparição da doença.

Certas doenças, como lúpus eritematoso sistêmico, infecção por HIV, câncer ou radioterapia, aumentam o risco de desenvolver a síndrome de Lyell. Em casos muito raros, nenhum medicamento suspeito é identificado.

Tratamento da síndrome de Lyell

Quando a síndrome de Lyell é diagnosticada, o paciente é imediatamente hospitalizado em estado de urgência, muitas vezes em terapia intensiva ou, às vezes, na ala para vítimas de queimaduras.

Uma infusão é imediatamente feita para reidratar o paciente e, quando as mucosas da boca são afetadas, uma alimentação por tubo gástrico é necessária. A frequência da respiração também é monitorada com atenção e cuidados cutâneos são prestados.

A síndrome de Lyell pode ser fatal em 20 a 25% dos casos. Dentre os casos não fatais, metade dos pacientes terá sequelas, assim como anomalias na pigmentação da pele ou sequelas oculares.

• Marcos Silva