Síndrome das pernas inquietas: tratamento, sintomas e diagnóstico. Como aliviar?

Síndrome das pernas inquietas: tratamento, sintomas e diagnóstico. Como aliviar?

A síndrome das pernas inquietas é um problema neurológico caracterizado pela incontrolável necessidade de mexer as pernas.

Definição: o que é síndrome das pernas inquietas?

A síndrome das pernas inquietas é um problema neurológico caracterizado pela incontrolável necessidade de mexer as pernas. Ocorre com maior frequência à noite e na madrugada, durante o período de descanso.

A síndrome das pernas inquietas também é chamada doença de Willis-Ekbom(EWE). Afeta entre 2 e 15% da população mundial e 7% da população brasileira, a maioria mulheres.

Sintomas da síndrome das pernas inquietas

O sinal clínico característico da síndrome das pernas inquietas é a necessidade de mover as pernas. Geralmente é acompanhada por coceira, dormência, dores ou formigamento - sensações desagradáveis são aliviadas com a movimentação das pernas. Isso pode envolver uma ou as duas pernas e, em alguns casos, estende-se para os braços.

Os sintomas da síndrome das pernas inquietas geralmente ocorrem à noite, quando a pessoa está deitada. Em 80% dos casos, também são observados movimentos involuntários das pernas (distúrbio dos movimentos periódicos dos membros). Isso geralmente leva à insônia crônica que resulta em muito cansaço durante o dia.

Causas da síndrome das pernas inquietas

A origem da síndrome das pernas inquietas é pouco conhecida. No entanto, sabe-se que ela está ligada a dois fatores: à falta de ferro (com ou sem anemia) e à falta de dopamina no cérebro e na medula espinhal.

A forma primária, ou familiar, da síndrome das pernas inquietas tem origem genética. A forma secundária, por outro lado, pode ter várias causas:

- diabetes- esclerose múltipla;

- insuficiência renal;

- Poliartrite reumatoide;

- fibromialgia;

- gravidez;

- alguns medicamentos;

- consumo de tabaco ou álcool.

Diagnóstico da síndrome das pernas inquietas

Para fazer o diagnóstico, o médico se baseia na análise dos sintomas, no históricos familiar e no histórico médico. Para se aprofundar, o médico também pode pedir testes sanguíneos ou musculares, assim como uma polissonografia - um dispositivo que permite registrar as atividades durante o sono.

Tratamento da síndrome das pernas inquietas

Em primeiro lugar, é importante determinar a causa da síndrome das pernas inquietas para tratá-la efetivamente, utilizando suplementação de ferro, por exemplo. No caso da forma leve da doença, um estilo de vida saudável pode ser suficiente como o único tratamento. Dessa forma, recomenda-se dormir e acordar em horários fixos, exercitar-se, manter uma dieta equilibrada e evitar álcool e café.

Se isso não for suficiente, medicamentos dopaminérgicos podem ser prescritos, pois eles servem para suprir a falta de dopamina. Mesmo que não curem a síndrome, eles ajudam a minimizar seus sintomas e a melhorar o sono.

O que fazer em caso de síndrome das pernas inquietas?

No caso do aparecimento dos sintomas da síndrome das pernas inquietas, algumas ações podem ser colocadas em prática:

- levantar-se e andar por alguns minutos;

- massagear as pernas;

- aplicar compressas;

- focar sua atenção em outra atividade.

• Marcos Silva