Globulos

O grupo sanguíneo é uma classificação de sangue baseada na presença ou ausência de certos elementos na superfície dos glóbulos vermelhos. É importante conhecer o grupo sanguíneo em caso de necessidade de transfusão de sangue, já que nem todos os grupos são compatíveis uns com os outros.

Definição: o que é grupo sanguíneo?

Quando uma pessoa doente precisa de sangue, ela não pode receber qualquer um, apenas os que sejam do mesmo grupo sanguíneo que o seu. Apesar de todos os sangues possuírem a mesma composição celular, existe uma variabilidade ou “polimorfismo” de diversos elementos entre os indivíduos, o que torna impossível a transfusão entre certos grupos de pessoas.

Os grupos sanguíneos são uma classificação do sangue baseada na presença ou ausência de certos elementos chamados “antígenos” na superfície dos glóbulos vermelhos. Existem quatro grupos sanguíneos determinados de acordo com uma classificação que segue o sistema ABO: A, B, AB e O. Mas são apenas dois os tipos de antígeno: A e B.

Os grupos são identificados da seguinte forma:

- No grupo A, o indivíduo apresenta sobre seus glóbulos vermelhos antígenos A (assim como anticorpos anti-B no sangue)

- No grupo B, o indivíduo apresenta sobre seus glóbulos vermelhos antígenos B (assim como anticorpos anti-A no sangue)

- No grupo AB, o indivíduo apresenta sobre seus glóbulos vermelhos ao mesmo tempo antígenos A e B (porém nenhum anticorpo)

- Já no grupo O, o indivíduo não apresenta nenhum antígeno (mas possui em seu sangue anticorpos anti-A e anti-B)

Compatibilidade entre os grupos sanguíneos

Na maioria dos casos, os receptores recebem na transfusão glóbulos vermelhos de um doador do mesmo grupo sanguíneo. A transfusão com um sangue de grupo diferente pode ter consequências graves. Isto se deve à presença dos anticorpos citados acima. Esses elementos irão atacar os antígenos que não estão presentes no corpo do indivíduo.

Por exemplo, se fizermos uma transfusão de sangue do grupo B a um indivíduo do grupo A, os anticorpos anti-B do último vão provocar uma reação imunológica que vai levar à destruição dos glóbulos vermelhos que acabaram de ser transfundidos. As consequências podem ser leves (calafrios, angústia) ou graves (insuficiência renal), podendo até conduzir à morte. 

O grupo A só pode, portanto, doar para o grupo A e o grupo B para o grupos B. Já o grupo AB pode doar tanto para o grupo A quanto para o grupo B e grupo O pode doar a qualquer grupo, sendo os indivíduos O- considerados “doadores universais”. Os indivíduos do grupo AB+ são por sua vez considerados “receptores universais”.

O fator Rh

O grupo sanguíneo não é, entretanto, o único aspecto que influencia, pois é preciso considerar também o fator Rh. O Rh designa um antígeno situado na parede dos glóbulos vermelhos. Ele permite determinar dois sistemas de grupos sanguíneos diferentes: Rh positivo (Rh+) e Rh negativo (Rh-).

Chamamos de Rh positivo as pessoas que possuem esse antígeno. Ele está presente na maior parte da população. O Rh negativo designa as pessoas que não possuem o antígeno. O fator Rh é útil principalmente para saber se uma transfusão sanguínea entre duas pessoas pode ser realizada.

As transfusões podem ser feitas “isorhesus”, ou seja, entre Rh+ e Rh-, mas apenas em um sentido: os Rh- podem doar aos Rh+, mas os Rh+ não podem doar aos Rh-. Isso se deve novamente à presença de anticorpos voltados contra o antígeno nas pessoas Rh-.

Nas mulheres grávidas Rh- cujo feto é Rh+, essa incompatibilidade pode provocar certas complicações no nascimento, como uma doença hemolítica do recém-nascido durante o parto.

Frequência dos grupos sanguíneos

Os grupos sanguíneos são ditados pela presença de um alelo em um gene particular do cromossomo 9. Dessa forma, o grupo sanguíneo de uma criança vai depender do grupo dos seus pais.

Dois pais do grupo A terão uma criança do grupo A e igualmente para o grupo B. Se um dos pais é A e o outro é B, a criança será AB. Por fim, se um dos pais é O e o outro é A ou B, a criança será A, B ou O, não sendo dominante. O fator Rh funciona da mesma forma com o Rh+ dominando sobre o Rh-.

Na França, o grupo sanguíneo mais frequente é A+, seguido de perto pelo O+. O mais raro é o AB-. Mas essas proporções variam de uma população a outra.

Publicado por -