Insuficiencia

A insuficiência renal é uma degradação do funcionamento dos rins. Existem duas formas principais: a insuficiência renal crônica e a insuficiência renal aguda. Quais são seus sintomas e tratamentos?

Definição: o que é insuficiência renal?

A insuficiência renal é uma deterioração do funcionamento dos rins. Estes órgãos possuem um papel essencial para o organismo: a cada dia, filtram até 170 litros de sangue e eliminam as toxinas do corpo na urina. Quando esses filtros, chamados de néfrons, deixam de funcionar corretamente, ocorre a insuficiência renal.

Esse transtorno possui duas formas principais. A insuficiência renal crônica (IRC) é uma doença grave frequentemente associada a outras patologias, especialmente a diabetes e a hipertensão. A IRC é caracterizada após pelo menos três meses de diminuição da função renal e apresenta vários estágios de evolução, da insuficiência renal funcional ou leve até a insuficiência renal terminal.

Quando a doença surge subitamente, trata-se de uma insuficiência renal aguda. Esta necessita, na maioria das vezes, de uma diálise de emergência, mas geralmente se cura sozinha.

Sintomas: como reconhecer uma insuficiência renal?

A insuficiência renal crônica possui uma evolução muito lenta. Os primeiros anos da doença costumam ser assintomáticos, o que torna difícil o diagnóstico precoce. Os sintomas iniciais normalmente surgem quando os rins não funcionam além de 25% da sua capacidade normal.

Constatam-se então transtornos urinários (vontade frequente de urinar, dor durante a micção e urina turva e escura), transtornos digestivos (náuseas, vômitos, gosto ruim na boca, perda de apetite e perda de peso) e distúrbios do sono (insônia, sonolência, forte fadiga etc).

Outros sinais clínicos da doença são hipertensão, coceira, cólica e pele seca.

Causas da insuficiência renal

A principal causa de insuficiência renal crônica é a diabetes, tanto a do tipo 1, quanto a do tipo 2. A doença afeta os rins ao criar lesões nos vasos sanguíneos do órgão e também pode danificar os nervos da região da bexiga. Quando a urina se acumula na bexiga, provoca uma forte pressão que causa lesões nos rins.

hipertensão arterial também é uma das principais causas de IRC. Entre os demais fatores de risco encontram-se o tabagismo, a obesidade, uma obstrução das vias urinárias, a glomerulonefrite, a pielonefritecálculos renais ou o uso de certos medicamentos.

Tratamento da insuficiência renal

Nas primeiras fases da insuficiência renal crônica, uma modificação do regime alimentar e o uso de alguns remédios costumam ser suficientes para retardar a progressão da doença. A fim de limitar a quantidade de toxinas e diminuir o trabalho do rim, é aconselhável reduzir o consumo de proteína, sódio, lipídios e a ingestão de líquidos.

Quando a função renal fica muito fraca, a realização de uma diálise é indispensável. Existem dois tipos. A hemodiálise, ou depuração sanguínea, consiste em fazer o sangue passar por um rim artificial com a ajuda de uma máquina chamada dialisador. Em seguida, o sangue filtrado volta para o corpo. Esse método precisa ser feito em um hospital ou uma clínica.

A diálise peritoneal funciona da mesma forma, mas o sangue é filtrado na cavidade abdominal e não por intermédio de um aparelho. O peritônio é a membrana que reveste a parede dos órgãos abdominais. Com a ajuda de um cateter (sonda flexível), introduz-se na cavidade peritoneal um líquido chamado de solução para diálise. Ele circula nos vasos permitindo a filtragem do sangue. Em seguida, a solução é drenada para fora do organismo. É preciso repetir a operação várias vezes por dia.

Em alguns casos, é necessário fazer um transplante de rim, procedimento cuja taxa de sucesso teve um grande aumento nos últimos anos. A lista de espera, entretanto, é muito longa e os critérios de seleção do receptor são muito rígidos. O rim compatível pode vir de um doador vivo ou de alguém que tenha acabado de falecer.

Publicado por -