Radioterapia

A radioterapia é um tratamento locorregional para o câncer. Ela pode ser utilizada sozinha ou associada à quimioterapia ou a uma cirurgia.

O que é radioterapia?

A radioterapia é um tratamento locorregional para o câncer. Consiste na utilização de radiação de alta energia que impede que as células cancerosas se multipliquem. A irradiação das células deve ser a mais precisa possível para poupar os tecidos próximos saudáveis.

A radioterapia pode ser utilizada sozinha, mas muitas vezes é associada a outros métodos, como a quimioterapia ou uma cirurgia.

Existem várias técnicas de radioterapia. A radioterapia externa é a mais utilizada. A fonte de radiação é colocada fora do paciente. Os raios são emitidos por uma máquina que fica próxima ao paciente e devem atravessar a pele para atingir o tumor.

No caso de um tumor pequeno, a braquiterapia pode ser empregada. Nesse caso, a fonte de radiação é diretamente implantada no interior do organismo. Essa fonte consiste em corpos radioativos introduzidos no tumor, liberando uma radiação a uma pequena distância.

Finalmente, a radioterapia metabólica consiste na administração por via oral ou por injeção intravenosa da fonte radioativa que se prende sobre as células cancerosas para destruí-las.

Como é uma sessão de radioterapia?

A primeira sessão de radioterapia é dedicada para determinar o local da área a ser irradiada e para calcular das doses de radiação. Uma marcação da pele é feita por uma tatuagem que permite destacar os pontos importantes. É durante este encontro que é feito o planejamento da duração e da frequência das futuras sessões.

As sessões de tratamento geralmente são bem curtas, entre quinze minutos e meia hora. Em geral, o ritmo é de uma sessão por dia durante 4 a 5 dias ao longo de várias semanas. A irradiação é invisível e indolor para o paciente. O tratamento geralmente não requer uma hospitalização e é realizado em ambulatório.

Efeitos colaterais da radioterapia 

Alguns efeitos colaterais da radioterapia são comuns, mas geralmente desaparecem ao final do tratamento. Eles variam de acordo com o paciente, a região irradiada do corpo e o tipo e quantidade da radiação administrada.

Entre os efeitos indesejáveis mais comuns estão:

- Fadiga (astenia) acompanhada de um estado depressivo e de uma perda de apetite

- Dores de cabeça (cefaleias), náuseas, vômitos

- Distúrbios sexuais e problemas de fertilidade

- Problemas de pele: vermelhidão na pele, ressecamento, coceira

- Reação inflamatória: um edema (inchaço da área) pode aparecer durante o tratamento

- Queda de cabelo

- Problemas sanguíneos: eles aparecem quando a radioterapia é associada à quimioterapia. Pode se tratar de uma redução no número dos glóbulos brancos, glóbulos vermelhos ou das plaquetas.

Alguns efeitos colaterais são chamados de tardios porque podem aparecer vários meses após o final do tratamento: perda de elasticidade da pele, inflamação das mucosas, perda de saliva, dores na área tratada, rosácea...

Publicado por -