Impetigo

O impetigo é uma infecção cutânea que atinge principalmente as crianças pequenas. Existem duas formas: o impetigo bolhoso e o impetigo comum. Quais são os tratamentos e como cuidar da doença?

O que é impetigo?

O impetigo é uma infecção bacteriana da pele causada por um estafilococo aureus ou um estreptococo. Trata-se da infecção bacteriana cutânea mais frequente nas crianças, especialmente entre dois e cinco anos, mas que também pode atingir os adultos. O impetigo também é muito contagioso.

Sintomas de impetigo

Existem duas formas de impetigo. O impetigo comum é o mais frequente (corresponde a 70% dos casos). Ele se caracteriza pela aparição de vesículas (bolhas), na maioria das vezes próximas aos orifícios, que se transformam em pústulas cheias de pus e possuem um contorno inflamatório avermelhado. Quando se rompem, essas pústulas formam crostas de cor amarela.

O impetigo bolhoso se manifesta através da aparição de bolhas transparentes de um ou dois centímetros de diâmetro com conteúdo purulento. Após dois ou três dias, as bolhas se rompem dando lugar a áreas sem pele chamadas de zonas esfoliadas. Essa forma de impetigo pode estar associada a uma febre ou diarreia.

O período de incubação varia de um a três dias em caso de infecção por estreptococo e entre quatro e dez dias no caso do estafilococo. O impetigo dura em média três dias, mas as lesões podem demorar mais tempo para se curarem completamente. A pessoa permanece contagiosa por um período de 24h a 48h.

Causas de impetigo

O impetigo tem origem bacteriana e sua transmissão ocorre através do contato direto com as lesões na pele ou do contato indireto através de objetos contaminados. As pessoas mais vulneráveis são aquelas que apresentam uma parte da pele fragilizada por cortes, arranhões, queimaduras ou doenças cutâneas como catapora, eczema ou herpes.

Tratamento do impetigo

É importante consultar um médico ou um pediatra assim que surgirem os sintomas para evitar qualquer complicação (septicemia, abscesso, linfangite etc). Se o impetigo for pouco extenso, um tratamento antibiótico local pode ser suficiente para curar a infecção. Caso contrário, antibióticos por via oral são necessários.

Na maioria das vezes, usa-se a penicilina. Além disso, recomenda-se a adoção de certas medidas de higiene: sempre lavar as mãos antes de entrar em contato com a criança, limpar as lesões com sabão frequentemente, impedir o máximo possível a criança de tocá-las ou coçá-las para evitar a contaminação de outras partes do corpo e trocar suas roupas e a roupa de cama regularmente. Curativos, entretanto, são desaconselhados para evitar a umidade no local das feridas.

Publicado por -