Câncer de fígado

O câncer de fígado é um dos cânceres digestivos mais agressivos, mas também é um dos cânceres cujo tratamento mais evoluiu nos últimos tempos. Vamos falar sobre sua definição, origens, sinais, sintomas e tratamento.

O que é câncer de fígado?

O fígado é um órgão vital e um dos mais volumosos do corpo humano. Localizado na parte direita do abdômen, entre o diafragma e o estômago, o fígado tem muitas funções: filtra as toxinas absorvidas pelo organismo, armazena e transforma os nutrientes absorvidos pelos intestinos, fabrica proteínas que contribuem para a coagulação do sangue, produz a bile, que permite que o corpo absorva as gorduras, e contribui para regular as taxas de glucose de certos hormônios.

Existem dois tipos de câncer de fígado. O câncer de fígado primário se origina nas células do fígado, os hepatócitos. O mais comum é o carcinoma hepatocelular, ou hepatocarcicoma.

O câncer de fígado secundário, ou metastático, é um câncer que tem origem em uma outra parte do corpo, que, em seguida, se espalha para o fígado. Como o fígado é um filtro de sangue, as células cancerosas de um outro órgão podem facilmente chegar até ele através da corrente sanguínea.

Causas do câncer de fígado

As causas do câncer de fígado, quando primário, ainda são difíceis de determinar, mas alguns fatores de risco foram identificados:

- A hepatite crônica B e hepatite crônica C (não a A) são a causa da maioria dos carcinomas hepatocelulares

- A cirrose do fígado, frequentemente causada pelo álcool, mas não apenas

- Uma exposição a determinadas toxinas, como certos tipos de fungos causados por produtos agrícolas indevidamente armazenados (aflatoxinas), o cloreto de vinila utilizado em alguns plásticos, os esteroides anabolizantes e o arsênio

- O tabagismo

Sintomas: como se caracteriza o câncer de fígado?

O câncer de fígado, no início da doença, raramente provoca sintomas específicos, é a razão pela qual esse tipo de câncer muitas vezes é diagnosticado tardiamente. Nesse momento, seus sintomas podem se manifestar por:

- Uma perda de peso inexplicável

- Perda de apetite

- Dores no abdômen

- Náuseas e/ou vômitos

- Uma fadiga generalizada

- O aparecimento de uma massa na região do fígado

- Icterícia (pele e olhos amarelados, fezes esbranquiçadas e urina escura)

Estes sintomas, no entanto, não são específicos do câncer de fígado, podem ser de uma doença mais comum. De qualquer forma, ao sentir qualquer um destes sintomas, o médico deverá ser consultado.

Tratamento: como tratar o câncer de fígado?

Há muitas opções de tratamento para o câncer de fígado: cirurgia, ablação por radiofrequência, criocirurgia, injeção percutânea, quimioterapia ou radioterapia. A escolha do tratamento e de suas combinações é feita pelo médico, de acordo com o estado de saúde do paciente e a extensão do tumor.

- Cirurgia:

A cirurgia, ou hepatectomia parcial, é a primeira escolha de tratamento, quando possível. Para ser realizada, a cirurgia depende de várias condições: o tumor deve ser limitado ao fígado, ser removível, e o volume do fígado saudável deve ser suficiente para assegurar uma função normal. Como o fígado é capaz de se regenerar parcialmente, após uma hepatectomia parcial o volume do fígado aumentará, mas nunca chegará ao seu tamanho original.

Em casos em que o fígado é afetado demais, sem que o câncer tenha se espalhado para outro órgão, o médico pode considerar uma hepatectomia total, o que significa uma remoção completa do fígado. Após a remoção, é realizado um transplante de fígado inteiro ou de um lobo do fígado de um dador compatível. No entanto, é raro que um transplante de fígado seja viável para tratar um câncer de fígado primário.

- Ablação por radiofrequência

Quando o tumor não pode ser removido por cirurgia, a ablação por radiofrequência geralmente é utilizada. Ela consiste em queimar, por meio do calor, as células anormais, inserindo pequenos eletrodos no fígado e provocando uma descarga eléctrica.

- Quimioterapia:

A quimioterapia é viável quando a cirurgia e as técnicas de destruição local não forem possíveis ou quando o tumor reincidir. Ela compreende um tratamento medicamentoso administrado por via intravenosa ou via oral. Estes medicamentos atacam as células cancerosas. Quando possível, para reduzir os efeitos colaterais, os medicamentos quimioterápicos podem ser diretamente injetados no tumor ou na artéria que abastece o fígado de sangue.

Outras opções como a criocirurgia, estão cada vez mais sendo deixadas de lado para dar espaço à ablação por radiofrequência ou à injeção percutânea, que também é cada vez menos utilizada. Por fim, a radioterapia, raramente é utilizada para o tratamento do câncer de fígado primário, já que esse tipo de câncer é pouco sensível a ela.

Prognóstico do câncer de fígado

O prognóstico do câncer de fígado depende de vários fatores: a localização do tumor, suas características e o estágio da doença. É importante diagnosticar a doença o mais cedo possível. Com efeito, o prognóstico vital depende do estado da função hepática. Quanto maior, melhores são as chances de sobrevivência.

O câncer de fígado continua a ser uma doença altamente fatal. Estima-se que 13% das pessoas atingidas pelo câncer de fígado sobrevivem mais de cinco anos após o diagnóstico.

Publicado por -