Câncer de bexiga

O câncer de bexiga é um tumor que se desenvolve na parede da bexiga. É mais comum em homens do que em mulheres.

O que é câncer de bexiga?

O câncer de bexiga é um tumor que se desenvolve na parede da bexiga. Depois do câncer de próstata, é o câncer do sistema urinário mais frequente. O câncer de bexiga é três vezes mais comum em homens do que em mulheres e geralmente aparece mais após os 60 anos.

A bexiga é um órgão oco localizado na pélvis cuja função é a de armazenar a urina produzida continuamente pelos rins. Ela se encontra sob o útero em mulheres e logo acima da próstata nos homens. Quando está cheia, ela envia uma mensagem para o cérebro para provocar a vontade de urinar. Durante a micção, os músculos da parede da bexiga se contraem para expelir a urina através da uretra.

Tipos de câncer de bexiga

Existem vários tipos de câncer de bexiga, dependendo de sua localização. O tumor maligno mais comum (90% dos casos) é chamado de "urotélio" e se desenvolve na mucosa que reveste o interior da bexiga. Isso recebe o nome de carcinoma urotelial. Ele pode afetar a camada superficial ou mais profunda da mucosa (tumor infiltrante).

As outras formas de câncer de bexiga (carcinoma epidermóide, o adenocarcinoma) são muito mais raras. Em cerca de 10% dos casos, os tumores se desenvolvem simultaneamente em diferentes locais no sistema urinário.

Sintomas do câncer de bexiga

A presença de sangue na urina (hematúria) é o sintoma mais comum e o sinal indicador de câncer da bexiga. O sangramento geralmente ocorre ao final da micção e não é necessariamente muito grande ou regular. Uma micção longa e uma coloração forte não indica, necessariamente, um tumor maligno.

A hematúria pode ser acompanhada por diferentes sintomas:

- Vontade frequente e urgente de urinar

- Dor ao urinar (sensação de queimação)

- Espasmos na bexiga

- Infecções urinárias recorrentes

- Dores na parte inferior das costas

Quando o tumor se espalha para outras partes do corpo, outros sintomas também podem surgir.

Causas do câncer de bexiga 

Vários elementos podem favorecer o desenvolvimento de um câncer da bexiga. Mais da metade dos tumores são atribuídos ao consumo excessivo de tabaco. Os fumantes regulares têm três vezes mais probabilidade do que os não-fumantes.

Entre outros fatores de risco, estão a exposição prolongada a substâncias tóxicas (produtos químicos), especialmente entre aqueles que trabalham na indústria têxtil, infecção crônica ou a ingestão de certos medicamentos.

Tratamento do câncer de bexiga

O tratamento do câncer de bexiga dependerá da fase e do grau do tumor no momento do diagnóstico. Seu objetivo é, a princípio, remover o tumor. No caso de um tumor superficial, a simples remoção do tumor pode ser suficiente. No caso de um tumor infiltrado no músculo da parede, uma remoção total da bexiga pode ser necessária. Isso é chamado de cistectomia.

Com o objetivo de limitar o desenvolvimento de metástases e reduzir o risco de recorrência, a cirurgia frequentemente é associada à quimioterapia ou à radioterapia. Um acompanhamento médico regular é mantido após o tratamento para assegurar que o tumor não se desenvolva novamente.

Prognóstico do câncer de bexiga

O prognóstico de vida do câncer de bexiga também depende no grau e, principalmente, da fase do tumor. Quanto mais desenvolvido é o câncer, menor será o prognóstico de sobrevivência. Além disso, um tumor pequeno tem mais chances de ser controlado.

Em mais de cerca de 80% dos casos, as pessoas operadas de um câncer de bexiga superficial voltaram à vida normal cinco anos após a operação. Esse número cai para 50% em casos de tumores invasivos, presentes na profundidade da parede da bexiga, e para 20% se tiver atingido os tecidos circundantes.

Publicado por -