I Plane

Pesquisadores chineses desenvolveram  um avião incrível capaz de atingir  Mach 7, ou seja, quase 9 mil km/h. O "I Plane" poderia voar de Pequim a Nova Iorque em apenas duas horas, uma jornada que hoje exige 15 horas a bordo de um avião convencional. Mas a perspectiva da viagem hipersônica não é a única, essa tecnologia também pode ser implementada para fins militares. 

Duas horas. Este é o tempo que, em breve, pode levar uma viagem Pequim - Nova Iorque, um trajeto de quase 11 mil quilômetros que, atualmente, requer pelo menos 14 horas de vôo a bordo de um avião de passageiros tradicional. 

Tal feito é prometido por uma equipe de cientistas chineses. O "I Plane" acabou de ser apresentado em uma publicação na revista "Science China Physics, Mechanics & Astronomy". Ele deve o "I" maiúsculo em seu nome à sua forma particular, que faz lembrar a letra do alfabeto.

Essa formato muito específico não é um capricho de um designer. É essencial permitir que o I Plane atinja a incrível velocidade de Mach 7: nada menos que 9 mil quilômetros por hora. Com esse velocidade, quase 7 vezes maior do que a velocidade do som, o "golpe" hipersônico poderia danificar a aeronave. Mas seu design inovador permite evitar este dano.

Um projeto à prova de choque 

O I Plane consiste em uma asa dianteira em forma de seta, acoplada a um par de asas triangulares contíguas, montadas verticalmente na fuselagem traseira, como uma enorme cauda em forma de T. Tal formato permite redirecionar a onda de choque ao atravessar a barreira de som e, assim, evitar as turbulências que prejudicam o desempenho e a estabilidade da aeronave. 

Por enquanto, o I Plane não saiu do chão. Seu primeiro teste de "voo" foi realizado no túnel de vento, no qual ele foi submetido a ventos de velocidade entre 6.000 a 9.000 km/h, algo em torno de March 5 e 7. Tais ventos poderiam ter destruído sua estrutura, mas seu design revolucionário provou sua eficácia. 

Este sucesso dá esperança de que o I Plane em breve fará um voo de verdade e, um dia, levar passageiros a velocidades incríveis. Esta perspectiva está longe de ser utópica, uma vez que, ao contrário de outros protótipos (limitados a um único lugar), o I Plane poderá transportar cerca de cinquenta passageiros ou cerca de 5 toneladas de bagagem, de acordo com seus designers . Capacidade equivalente a 25%  de um Boeing 737. 

Prováveis aplicações militares 

​​Mas a viagem de lazer, infelizmente, não é a única opção oferecida por essa tecnologia de voo hipersônico. Intenções nada pacíficas também podem ser realizadas graças às performances excepcionais do I Plane. O avião também poderia ser usado para transportar bombas. "Poderia servir como um grande bombardeiro hipersônico", adverte um pesquisador chinês que deseja permanecer anônimo, em uma entrevista concedida ao jornal chinês South China Morning Post. 

A China parece estar se lançando na corrida pela tecnologia hipersônica, como evidenciado por outro projeto desenvolvido pelo país e evocado pela Popular Science: o de um túnel de vento capaz de produzir ventos chegando a Mach 36, mais de 4.4000 km/h! Com toda essa velocidade, corremos o risco de sair descabelados do túnel hipersônico ... Seu comissionamento está programado para 2020. 

Se tudo ocorrer como planejado, o túnel de vento hipersônico chinês superaria o desempenho de seu equivalente americano, o LENX-X , que produz um "único" sopro de 37.000 km/h, "só" 30 vezes maior que a velocidade do som. Se ele se materializar, o I Plane poderia pulverizar o registro até agora estabelecido por uma das aeronaves mais rápidas, capaz de decolar e pousar sozinha: o Lockheed SR-71 Blackbird, que atinge uma velocidade de Mach 3.

Ainda na fase de testes, esses diferentes projetos internacionais poderiam contribuir para o desenvolvimento dos aviões do futuro, se não forem utilizados para fins bélicos... Se para mísseis ou viagens, o futuro irá dizer, mas ainda assim, o céu poderia ser atravessado por incríveis pássaros hipersônicos.

Publicado por -